Veja por que a cidade naufragada está sendo removida [atualização] - warrockforfun

Header Ads

Veja por que a cidade naufragada está sendo removida [atualização]

O desenvolvedor Frogwares afirmou que as editoras Nacon e Big Ben Interactive retiveram o pagamento de royalties, criaram falsas percepções e muito mais.

Atualização : Em uma declaração dada à GameSpot, a Nacon contestou as alegações da Frogwares e disse que uma decisão não é esperada nos tribunais franceses por meses. A Nacon acrescentou que pretende tomar outras medidas legais por causa disso.

Frogwares, o desenvolvedor por trás do jogo de terror The Sinking City , revelou porque o jogo foi removido de várias plataformas recentemente. Em uma carta aberta , o desenvolvedor acusou as editoras Bigben Interactive e Nacon de reter royalties, várias violações de contrato e até mesmo de tentar insinuar que o estúdio era meramente um "parceiro técnico" no jogo.

Quando o desenvolvimento de The Sinking City começou em 2017, Bigben e Nacon assinaram um acordo de licenciamento que daria às empresas o direito de vender e comercializar o jogo no Xbox One , PS4 e PC através da Epic Games Store e Steam. Em troca, a Frogwares receberia contribuições financeiras para o desenvolvimento e ainda seria proprietária da propriedade intelectual. A Frogwares receberia pagamentos sempre que os marcos de produção fossem concluídos, bem como uma parte da receita assim que The Sinking City fosse lançado.

Pouco depois de o acordo ter sido assinado, a Frogwares afirma ter encontrado seu primeiro problema. O dinheiro devido por marcos de produção concluídos geralmente chegava depois da data acordada, com os pagamentos sendo interrompidos inteiramente por 4 meses depois que os editores alegadamente exigiram que o código-fonte de The Sinking City fosse entregue a eles.

"Assim que o BBI / Nacon comprou um estúdio concorrente que trabalhava em outro jogo Lovecraftian, eles ditaram que demos a eles nosso código-fonte para The Sinking City", explicou Frogwares. “Mais uma vez, o BBI / Nacon não possui o IP - eles são licenciados. Eles vendem o jogo - não o desenvolvem e co-criam. Depois que nos recusamos a cumprir, paramos de receber contribuições financeiras por mais de 4 meses”.

O desenvolvimento continuou em The Sinking City, com a Frogwares encontrando novos obstáculos ao longo do caminho, que supostamente incluíam ser mantido no escuro em relação às previsões de vendas e um cancelamento retroativo dos pagamentos acordados que ainda eram devidos, significando que o estúdio receberá qualquer lucro das vendas do jogo.

Nenhuma legenda fornecida

A Frogwares abriu um processo contra Bigben e Nacon em agosto de 2019, o que apenas levantou mais questões. Relatórios de renda que o estúdio recebeu estavam supostamente incompletos e não documentados, resultando no desenvolvedor sendo incapaz de ver se a receita foi calculada corretamente ou quantas unidades do jogo foram vendidas. Houve também o caso curioso de uma declaração alegando que um fabricante de console não pagava royalties por mais de cinco meses, o que a Frogwares achou curioso, pois os pagamentos de seus outros jogos sempre chegavam no prazo.

O estúdio também afirma que os editores tentaram criar uma falsa percepção de que o desenvolvedor tinha muito pouca participação no jogo, o que incluía remover o logotipo da Frogwares sempre que possível, comprar nomes de domínio Sinking City sem informar o estúdio e até mesmo criar um RPG de mesa baseado no jogo, mantendo Frogwares no escuro.

"Nosso logotipo da Frogwares foi removido de algumas capas de jogos do PS4 e Xbox One e de outros materiais de marketing e só fomos mencionados no verso com os parceiros técnicos, novamente, criando uma percepção de que não éramos os autores nem os proprietários de o jogo ", explicou o estúdio. "Dezenas de nomes de domínio para nossas marcas Sherlock Holmes e The Sinking City foram comprados pela Bigben / Nacon sem nos notificar. Um RPG de mesa The Sinking City foi criado sem nos informar e distribuído gratuitamente, apresentando o aviso de copyright errado."

Nenhuma legenda fornecida

Alegando que agora deve cerca de 1 milhão de euros em royalties, a Frogwares decidiu rescindir formalmente seu contrato com Bigben e Nacon. Para reverter a percepção de que os editores são donos da The Sinking City e retomar o controle de sua propriedade intelectual, a Frogwares solicitou a remoção de várias lojas para evitar que os lucros de quaisquer vendas remanescentes fossem para os editores.

"A todos os jogadores que desejam comprar The Sinking City - estamos mais do que dispostos a ter o jogo presente em todos os lugares e iremos informá-los quando reaparecermos em mais plataformas em nossos canais sociais", explicou Frogwares.

A Frogwares terminou sua carta com uma nota mais otimista, dizendo que o estúdio espera que a transparência por trás de suas ações resulte na criação de uma indústria de videogames mais ética.

A GameSpot entrou em contato com a Nacon para comentar e informará quando eles responderem.

Nenhum comentário